Brasil: a destituição de Dilma Rousseff é uma fraude, um “hold-up” de poder
29/08/2016
Michel Temer no poder após a destituição de Dilma Rousseff
01/09/2016
Voir tous les articles

Brasil: Dilma Rousseff recorre contra sua destituição e pede novo processo

TRADUZIDO DA RADIO FRANCE INFO – 01/09/2016 – por Valéria Lima Salem

Dilma Rousseff não aceita seu destino. Vinte e quatro horas depois de o Senado ter votado sua destituição por maquiagem de contas públicas, a ex-presidente do Brasil anunciou por meio de seu advogado, na quinta-feira 1º de setembro, sua decisão de recorrer e exigiu um novo julgamento. Dilma Rousseff foi substituída, na quarta-feira por Michel Temer, o ex-vice-presidente do país e homem forte do PMDB (centro-direita).

O recurso que requer « a imediata suspensão dos efeitos da decisão do Senado que a condenou por crime de responsabilidade” é assinado pelo advogado José Eduardo Cardozo, ex-ministro da Justiça de Dilma Rousseff, que a defendeu durante o julgamento.

Na quarta-feira, uma maioria de mais de dois terços de senadores votou, sem nenhuma surpresa, pela destituição da dirigente de esquerda, primeira mulher a ser eleita para a presidência do Brasil em 2010 e reeleita por uma pequena margem em 2014. Dos 81 parlamentares, 61 votaram por sua saída. Apenas 20 votaram contra.

(link da reportagem original: http://www.francetvinfo.fr/monde/bresil/bresil-dilma-rousseff-fait-appel-de-sa-destitution-et-reclame-un-nouveau-proces_1805187.html)